Vulgar

 

Este espaço destina-se a publicação de textos produzidos por alunos do curso de psicologia. Para a inauguração escolhi esta crônica escrita por Dani Schunk. Ela retrata cenas do cotidiano que são atravessadas pela temática da psicologia e nos convida a uma instigante reflexão. 

vulgar

VULGAR

por Dani Schunk

   – Vulgar!!!!!!!

 Disse ela, em tom quase brutal. Voltei minha atenção imediatamente àquelas duas conversando, a minha frente, enquanto esperávamos na fila para pagar o estacionamento. Disfarçando como pude, estiquei o pescoço na direção da conversa.

 – (…) é assim que me sinto, toda vez que vejo esse tipo de gente que não faz a menor idéia do que seja ser psicólogo – Disse a ruiva, de grandes óculos e franja curta, subindo e descendo os dedos em gesto de aspas e repetindo como quem separa as sílabas:

 – “V-u-l-g-a-r-i-z-a-n-d-o” a psicologia!

 Ao perceber que sua amiga, balançava a cabeça em sinal de aprovação, continuou:

– Já não basta qualquer um se sentir psicólogo hoje em dia, depois de ler um livro ou talvez dois textos, extraídos de artigos pseudocientíficos publicados em Blog´s duvidosos… como podemos proteger o verdadeiro significado do que fazemos das más intenções desse tipo de  gente,  que trata a psicologia como um saber banal e ordinário, como se fôssemos conselheiros ou coisa que o valha”? Todos os que atuam nesta área, são responsáveis!” – sentenciou.

Antes que a baixinha de olhar esbugalhado pudesse dizer qualquer palavra em resposta, a fila andou, elas se foram, e eu fiquei entrecortada com aquela revolta.

Pode-se dizer que a psicologia torna-se mesmo vulgar quando se insiste obstinadamente em seu uso prescritivo, apenas em períodos de crises disfuncionantes, e o caráter restritivo deste uso acaba impedindo o desfrute real de suas vicissitudes.

A psicologia terapêutica, científica e preventiva, entremeada de coerência, serve de meio para o individuo produzir sua própria forma de saúde mental, facilitando a autodescoberta, em meio à sinuosidade das escolhas, e a revelia até mesmo de suas dúvidas quanto à própria capacidade de ser.

 Contudo, não é somente em benefício do indivíduo, em campo clínico, que a psicologia age. A maioria da população não faz idéia de sua aplicabilidade em benefício da sociedade, em diversas outras áreas: jurídica, educacional, econômica, de comunicação, hospitalar entre tantas outras. Não é difícil saber por quê: reconhecer a verdadeira informação da que não é em tempo de tecnologia fácil e compartilhamentos online, em geral, não é tarefa das mais fáceis.

O psicólogo, precisa sair em defesa de seu saber, desconstruindo idéias fantasiosas, lançando descrédito sobre informações equivocadas, e acusando teorias duvidosas. Defender a psicologia das elucubrações do senso comum, do ceticismo e da ignorância é bem possível enquanto sua cientificidade for difundida em termos práticos e simples por todos os que atuam ou atuarão nessa área.

Eu não disse, mas deveria ter dito: Você tem razão moça ruiva, somos sim, todos responsáveis!

Esse post foi publicado em Alunos e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Vulgar

  1. Priscila Schunk disse:

    Não sou psicóloga e nunca frequentei uma terapia. Mas, esse texto me fez refletir o quanto esses profissionais são sim importantes, sim responsáveis e sim, empiricamente “vulgarizados!”

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s