Novos ares na psicologia.

Cada vez mais a psicanálise vem participando no avanço de novos caminhos para a saúde. Não é de hoje que temas epidêmicos de saúde me sensibilizam e são discutidos aqui nesse espaço. Assuntos como síndrome de burnout, síndrome de túnel do carpo, depressão entre outros, deixam claro a influencia que o psiquismo possui na criação e agravamento de sintomas. Pressões psíquicas, cotidianas, a que somos submetidos, a exemplo de bullyng e assédio moral confirmam a influencia do meio social no psiquismo e sendo assim, na produção de novos sintomas. Então sobre que ângulo teórico poderia conceber a resposta sintomática, nesses casos?

No livro A DOR FISÍCA (J. D. Nasio) o autor distingue a dor em 3 tipos. Dor corporal dor psíquica e dor psicogênica. Em se tratando de dor psicogênica, ele definiu como uma dor (nesse caso sintoma) de origem psíquica que vem exprimir-se no corpo. Nesse caso, as situações de vida que não conseguimos elaborar, como também os sentimentos são dirigidos ao nosso inconsciente e se tornam uma força psíquica poderosa.

Outra variação deste conceito, que tem contribuído em minha clinica é a do fisiatra americano John Sarno, em que a dor psicogênica é uma estratégia da mente para desviar nossa atenção do conteúdo psíquico que deseja emergir. Sarno na elaboração de sua teoria inspirou-se em evidencias da psicanálise freudiana e psicossomática.

Em ambos os autores, o conceito de dor psicogênica é de origem psíquica. Nasio vai mais adiante afirmando que toda dor é psíquica, já que possui estreita relação na origem ou interferência dos sintomas físicos.

A epidemia de dor que assola o mundo é algo que merece uma cuidadosa consideração, pelo campo da saúde. O sujeito moderno calado em suas “convicções” responde cada vez mais ao social, com seu corpo. Essas tantas novas “dores” apontam um fim ao pensamento dual: mente e corpo.

 

Esse post foi publicado em Análise, Assédio Moral, Bullyng escolar, Diagnósticos, Formação, Psicanálise e Outros Saberes, Psicologia, Saúde Coletiva, saúde mental, Saúde no Trabalho, Saúde Pública, síndrome de burnout e marcado , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s