O laço e o abraço: uma metáfora psicanalítica das relações.

Em uma valorosa conversa com a amiga e psicanalista Laura Kastrup, trocamos impressões sobre a forma estrutural e a clínica dos relacionamentos. Daí destacou-se uma lembrança do início do encontro desta amiga com a psicanálise, que tornou-se uma inestimável contribuição metafórica, em minha clínica. Sempre que sou convidada a falar sobre o tema “relações”, ilustro com o poema de Quintana. Uma brilhante metáfora, sobre a composição estrutural das relações e sobre sua impermanência, enquanto forma, mas continuidade como conexão.

Destaco ainda, a presença de uma analogia dialética, em que ilustra-se bem, que a junção de duas partes cria uma terceira forma: seja um laço ou um nó. Uma relação é constituída de três partes: um cônjuge, outro cônjuge e a soma dos dois, que se transmuta numa terceira e nova entidade independente, daqueles que a somam.

O LAÇO E O ABRAÇO
Mário Quintana

Eu nunca tinha reparado como é curioso um laço… uma fita dando voltas.
Enrosca-se, mas não se embola, vira, revira, circula e pronto: está dado o
laço. É assim que é o abraço: coração com coração, tudo isso cercado de
braço. É assim que é o laço: um abraço no presente, no cabelo, no vestido,
em qualquer coisa onde o faço.
E quando puxo uma ponta, o que é que acontece? Vai escorregando…
devagarzinho, desmancha, desfaz o abraço.
Solta o presente, o cabelo, fica solto no vestido.
E, na fita, que curioso, não faltou nem um pedaço.
Ah! Então, é assim o amor, a amizade.
Tudo que é sentimento. Como um pedaço de fita.
Enrosca, segura um pouquinho, mas pode se desfazer a qualquer hora,
deixando livre as duas bandas do laço. Por isso é que se diz: laço
afetivo, laço de amizade.
E quando alguém briga, então se diz: romperam-se os laços.
E saem as duas partes, igual meus pedaços de fita, sem perder nenhum
pedaço.
Então o amor e a amizade são isso…
Não prendem, não escravizam, não apertam, não sufocam.
Porque quando vira nó, já deixou de ser um laço!

About these ads
Esse post foi publicado em Poesia, Psicanálise, Psicanálise e Outros Saberes e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

5 respostas para O laço e o abraço: uma metáfora psicanalítica das relações.

  1. Luisa disse:

    Paula…amei esse post…as fotos, a poesia é tudo!
    Acredito muito no que é dito ao final:
    “Não prendem, não escravizam, não apertam, não sufocam.
    Porque quando vira nó, já deixou de ser um laço!”
    Realmente, um nó não é suave, não é bonito, não promove mudanças…é estático. Acredito muito no amor em forma de laço….Adorei!
    bjossss

  2. “É assim que é o abraço: coração com coração, tudo isso cercado de
    braço. ”
    Bises…

  3. Penelope disse:

    Adorei!!!!!! Genial!!!!! Mais uma sacada da sensível Paula.É isso aí,as pessoas podem ser extremamente unidas em qualquer tipo de vínculo e que seja duradouro,vitalício mesmo,como muitos casamentos(bem sucedidos,claro!!!) e amizades,sociedades,parcerias etc etc etc ,mas sem jamais perder a individualidade ou pior,tal como os NÓS,se sentir sufocado em uma das pontas pela outra parte.Muito legal!!!!Bjs e continue assim,um texto desses vale p/ um paciente seu por uma sessão inteira de terapia,mas claro que vc é ótima e a sessão tb vale à pena,viu gente!!!! O texto é só pra avançar um pouquinho mais na terapia,pois essa mulher é fera!!!!!!!Bjs.

  4. Paula Muniz disse:

    As impressões deixadas por vocês enobrecem cada vez mais esse espaço. São pontas de reflexão, que contribuem na formação de novos laços. Obrigada!

  5. NATHIA MONTEIRO disse:

    Sou estudante do curso de enfermagem e estou pagando uma disciplina Processo do Cuidar em Saúde Mental. Passando por alguns sites encontrei este maravilhoso e bem produzido o qual só enriqueceu meu conhecimento e contribuiu e muito para minha produção de um portfólio o qual irei entregar a professora como forma de avaliação. Eu amei muito essa mensagem ela contribuiu para mim dentro da disciplina para mostrar a mim mesma e aos que lerem meu trabalho, que os relacionamentos sejam amorosos e de amizades também podem ser fatores contribuintes para o individuo acostumado com a mesmice e a não perca venha a desenvolver o sofrimento mental. Deixo claro que essa mensagem é muito construtiva e vai ajuda a entender o comportamento humano, se esses que lerem a mesma levarem para o lado da mente.
    Agradecida
    bjs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s